Sá Miranda

Portugal — Poeta

28 Ago 1481 // 15 Mar 1558

15 Poemas

Principais Poemas

Que Farei quando Tudo Arde?

Sá Miranda
Desarrezoado amor, dentro em meu peito,
tem guerra com a razão. Amor, que jaz
i já de muitos dias, manda e faz
tudo o que quer, a torto e a…

Leia mais


Comigo me Desavim

Sá Miranda
Comigo me desavim,
Sou posto em todo perigo;
Não posso viver comigo
Nem posso fugir de mim.

Com dor da gente fugia,
Antes que esta assi crecesse:
Agora já fugiria…

Leia mais


Ó Meus Castelos de Vento

Sá Miranda
Ó meus castelos de vento
que em tal cuita me pusestes,
como me vos desfizestes!

Armei castelos erguidos,
esteve a fortuna queda,
e disse:– Gostos perdidos,
como is a dar…

Leia mais


Esparsa

Sá Miranda
Não vejo o rosto a ninguém,
cuidais que sou, e não sou.
Sombras que não vão nem vêm,
parece que avante vão.
Entre o doente e o são
mente cada…

Leia mais


Aquela Fé tão Clara e Verdadeira

Sá Miranda
Aquela fé tão clara e verdadeira,
A vontade tão limpa e tão sem mágoa,
Tantas vezes provada em viva frágua
De fogo, i apurada, e sempre inteira;

Aquela confiança, de…

Leia mais


Mais poemas de Sá Miranda