Gregório De Matos

Brasil — Advogado e poeta

23 Dez 1636 // 26 Nov 1696

39 Poemas

Principais Poemas

Pondera Agora com Mais Atenção a Formosura de D Ângela

Gregório De Matos
Não vi em minha vida a formosura,
Ouvia falar nela cada dia,
E ouvida me incitava, e me movia
A querer ver tão bela arquitetura.

Ontem a vi por minha…

Leia mais


Por Ocasião do Dito Cometa, Refletindo o Poema os Movimentos que Universalmente Inquietavam o Mundo

Gregório De Matos
Que esteja dando o Francês
camoesas ao Romano,
castanhas ao Castelhano,
e ginjas ao Português:
e que estejam todos três
em uma seisma quieta
reconhecendo esta treta
tanto à vista,…

Leia mais


Queixa-se o Poeta em que o Mundo Vai Errado e, Querendo Emendá-lo, o Tem por Empresa Dificultosa

Gregório De Matos
Carregado de mim ando no mundo,
E o grande peso embarga-me as passadas,
Que como ando por vias desusadas,
Faço o peso crescer e vou-me ao fundo.

O remédio será…

Leia mais


Rompe o Poeta Com a Primeira Impaciência Querendo Declarar-se e Temendo Perder Por Ousado

Gregório De Matos
Anjo no nome, Angélica na cara,
Isso é ser flor, e Anjo juntamente,
Ser Angélica flor, e Anjo florente,
Em quem, senão em vós se uniformara?

Quem veria uma flor,…

Leia mais


Segunda Impaciência Do Poeta

Gregório De Matos
Cresce o desejo, falta o sofrimento,
Sofrendo morro, morro desejando,
Por uma, e outra parte estou penando
Sem poder dar alívio a meu tormento.

Se quero declarar meu pensamento,
Está-me…

Leia mais


Mais poemas de Gregório De Matos