Gregório De Matos

Brasil — Advogado e poeta

23 Dez 1636 // 26 Nov 1696

39 Poemas

Page 1 of 4
  • Next

  • Poemas

    Pondera Agora com Mais Atenção a Formosura de D Ângela

    Gregório De Matos
    Não vi em minha vida a formosura,
    Ouvia falar nela cada dia,
    E ouvida me incitava, e me movia
    A querer ver tão bela arquitetura.

    Ontem a vi por minha…

    Leia mais


    Por Ocasião do Dito Cometa, Refletindo o Poema os Movimentos que Universalmente Inquietavam o Mundo

    Gregório De Matos
    Que esteja dando o Francês
    camoesas ao Romano,
    castanhas ao Castelhano,
    e ginjas ao Português:
    e que estejam todos três
    em uma seisma quieta
    reconhecendo esta treta
    tanto à vista,…

    Leia mais


    Queixa-se o Poeta em que o Mundo Vai Errado e, Querendo Emendá-lo, o Tem por Empresa Dificultosa

    Gregório De Matos
    Carregado de mim ando no mundo,
    E o grande peso embarga-me as passadas,
    Que como ando por vias desusadas,
    Faço o peso crescer e vou-me ao fundo.

    O remédio será…

    Leia mais


    Rompe o Poeta Com a Primeira Impaciência Querendo Declarar-se e Temendo Perder Por Ousado

    Gregório De Matos
    Anjo no nome, Angélica na cara,
    Isso é ser flor, e Anjo juntamente,
    Ser Angélica flor, e Anjo florente,
    Em quem, senão em vós se uniformara?

    Quem veria uma flor,…

    Leia mais


    Segunda Impaciência Do Poeta

    Gregório De Matos
    Cresce o desejo, falta o sofrimento,
    Sofrendo morro, morro desejando,
    Por uma, e outra parte estou penando
    Sem poder dar alívio a meu tormento.

    Se quero declarar meu pensamento,
    Está-me…

    Leia mais


    SENHORA DONA BAHIA

    Gregório De Matos
    Ninguém vê, ninguém fala, nem impugna,
    e é que, quem o dinheiro nos arranca,
    nos arranca as mãos, a língua, os olhos.

    Esta mãe universal,
    esta célebre Bahia,
    que a…

    Leia mais


    Soneto

    Gregório De Matos
    Carregado de mim ando no mundo,
    E o grande peso embarga-me as passadas,
    Que como ando por vias desusadas,
    Faço o peso crescer, e vou-me ao fundo.

    O remédio será…

    Leia mais


    A Cosme Moura Rolim, Insigne Mordaz Contra os Filhos de Portugal

    Gregório De Matos
    Um Rolim de Monai Bonzo Bramá
    Primaz de Greparia do Pegu,
    Que sem ser do Pequim, por ser do Açu,
    Quer ser filho do Sol nascendo cá.

    Tenha embora um…

    Leia mais


    À MARGEM DE UMA FONTE QUE CORRIA

    Gregório De Matos
    A uma dama dormindo junto a uma fonte.

    À margem de uma fonte, que corria,
    Lira doce dos pássaros cantores
    A bela ocasião das minhas dores
    Dormindo estava ao despertar…

    Leia mais


    A Nossa Senhora da Madre de Deus Indo Lá o Poeta

    Gregório De Matos
    Venho, Madre de Deus, ao Vosso monte
    E reverente em vosso altar sagrado,
    Vendo o Menino em berço argenteado
    O sol vejo nascer desse Horizonte.

    Oh quanto o verdadeiro Faetonte…

    Leia mais


    Page 1 of 4
  • Next