Gonçalves Dias

Brasil — Poeta/Teatrólogo/Jornalista/Advogado/Etnógrafo

10 Ago 1823 // 03 Nov 1864

29 Poemas

Principais Poemas

A Concha e a Virgem

Gonçalves Dias

Linda concha que passava,

Boiando por sobre o mar,

Junto a uma rocha, onde estava

Triste donzela a pensar,


Perguntou-lhe: — "Virgem bela,

Que fazes no teu cismar?"

— "E tu", pergunta ...

Leia mais


Olhos Verdes

Gonçalves Dias

Eles verdes são:

E têm por usança,

Na cor esperança,

E nas obras não.

CAMÕES, Rimas.


São uns olhos verdes, verdes,

Uns olhos de verde-mar,

Quando o tempo vai bonança ...

Leia mais


Canto Primeiro

Gonçalves Dias
(...)

Dos Gamelas um chefe destemido,
Cioso d'alcançar renome e glória,
Vencendo a fama, que os sertões enchia,
Saiu primeiro a campo, armado e forte,
Guedelha e ronco dos sertões ...

Leia mais


Canção do Tamoio

Gonçalves Dias
(Natalícia)

I

Não chores, meu filho;
Não chores, que a vida
É luta renhida:
Viver é lutar.
A vida é combate,
Que os fracos abate,
Que os fortes, os bravos ...

Leia mais


Canção do Exílio

Gonçalves Dias
Kennst du das Land, wo die Citronen bluhen,
Im dunkeln Laub die Gold-Orangen gluhen?
Kennst du es wohl? — Dahin, dahin!
Mocht' ich.... ziehn.
GOETHE

Minha terra tem palmeiras,
Onde canta ...

Leia mais


Mais poemas de Gonçalves Dias