Castro Alves

Brasil — Poeta

14 Mar 1847 // 6 Jul 1871

198 Poemas

Page 1 of 20
  • Next

  • Poemas

    O Navio Negreiro, Tragédia no Mar (IV)

    Castro Alves
    Era um sonho dantesco... O tombadilho
    Que das luzernas avermelha o brilho,
    Em sangue a se banhar.
    Tinir de ferros... estalar do açoite...
    Legiões de homens negros como a noite,…

    Leia mais


    O Navio Negreiro, Tragédia no Mar (V)

    Castro Alves
    Senhor Deus dos desgraçados!
    Dizei-me vós, Senhor Deus!
    Se é loucura... se é verdade
    Tanto horror perante os céus...
    Ó mar! por que não apagas
    Co'a esponja de tuas vagas…

    Leia mais


    O Navio Negreiro, Tragédia no Mar (VI)

    Castro Alves
    E existe um povo que a bandeira empresta
    Pr'a cobrir tanta infâmia e cobardia!...
    E deixa-a transformar-se nessa festa
    Em manto impuro de bacante fria!...
    Meu Deus! meu Deus! mas…

    Leia mais


    O Povo ao Poder

    Castro Alves
    QUANDO nas praças seleva
    Do povo a sublime voz...
    Um raio ilumina a treva
    O Cristo assombra o algoz...
    Que o gigante da calçada
    Com pé sobre a barricada
    Desgrenhado,…

    Leia mais


    O São Francisco

    Castro Alves
    LONGE, bem longe, dos cantões bravios,
    Abrindo em alas os barrancos fundos;
    Dourando o colo aos perenais estios,
    Que o sol atira nos modernos mundos;
    Por entre a grita dos…

    Leia mais


    O Século

    Castro Alves
    Soldados, do, alto daquelas pirâmides
    quarenta séculos vos contemplam!
    Napoleão
    o século é grande e forte.
    V. Hugo
    Da mortalha de seus bravos
    Fez bandeira a tirania
    Oh! armas talvez…

    Leia mais


    O Segredo

    Castro Alves
    "AGORA vou dizer-te por que morro;
    Mas hás de jurar primeiro,

    Que jamais tuas mãos inocentes
    Ferirão meu algoz derradeiro...
    Meu filho, eu fui a vítima
    Da raiva e do…

    Leia mais


    O Sibarita Rornano

    Castro Alves
    Este olhar, estes lábios, estas rugas
    exprimem uma sede impaciente e
    impossível de saciar. Quer e não pode.
    Sente o desejo e a impaciência.
    LAVATER
    Escravo, dá-me a croa de…

    Leia mais


    O Sol e o Povo

    Castro Alves
    Le peuple a sa colére et le volcan sa lave.
    V. Hugo

    Ya desatado
    El horrendo huracán silba contigo
    ¿ Qué muralla, qué abrigo
    Bastaran contra ti?
    M. Quintana

    O…

    Leia mais


    O TONEL DAS DANAIDES

    Castro Alves
    diálogo

    Na torrente caudal de seus cabelos negros
    Alegre eu embarquei da vida a rubra flor.

    — Poeta! Eras o Doge o anel lançando às ondas...
    Ao fundo de um…

    Leia mais


    Page 1 of 20
  • Next