Castro Alves

Brasil — Poeta

14 Mar 1847 // 6 Jul 1871

198 Poemas

  • Previous
  • Page 2 of 20
  • Next

  • Poemas

    O Vidente

    Castro Alves
    Virá o dia da felicidade
    para todos.
    (Isaías)
    Às vezes quando à tarde, nas tardes brasileiras,
    A cisma e a sombra descem das altas cordilheiras;
    Quando a viola acorda na ...

    Leia mais


    O Voluntário do Sertão

    Castro Alves
    (FRAGMENTO)

    ERA AO CAIR do sol no viso das montanhas!
    Era ao chegar da noite as legiões estranhas. . .,

    Ao farfalhar das sombras — a tribo sussurrante —
    Aves ...

    Leia mais


    O Vôo do Gênio

    Castro Alves
    À ATRIZ EUGÊNIA CÂMARA
    Um dia, em que na terra a sós vagava
    Pela estrada sombria da existência,
    Sem rosas — nos vergéis da adolescência,
    Sem luz destrela — pelo ...

    Leia mais


    Ode ao Dous de Julho

    Castro Alves
    (Recitada no Teatro de São Paulo)

    Era no Dous de Julho. A pugna imensa
    Travara-se nos cerros da Bahia...
    O anjo da morte pálido cosia
    Uma vasta mortalha em Pirajá. ...

    Leia mais


    OITAVAS A NAPOLEÃO

    Castro Alves
    (Tradução do espanhol, de LOZANO)

    Águia das solidões!... Ninho atrevido
    Foram-te as borrascosas tempestades,
    Flamígero cometa suspendido
    Sobre o céu infinito das idades.
    Tu que, no lago intérmino do olvido, ...

    Leia mais


    ONDE ESTÁS

    Castro Alves
    É meia-noite... e rugindo
    Passa triste a ventania,
    Como um verbo de desgraça,
    Como um grito de agonia.
    E eu digo ao vento, que passa
    Por meus cabelos fugaz:
    "Vento ...

    Leia mais


    Originais

    Castro Alves
    Destruição de Jerusalém

    I

    "TREME, treme, dissoluta,
    Ímpia filha de Sião!
    Que a tua devassidão
    Provoca a ira de Deus;
    Povo e rei, todos profanam
    Do Senhor os vasos santos, ...

    Leia mais


    Os Anjos da Meia Noite

    Castro Alves
    Quando a insônia, qual lívido vampiro,
    Como o arcanjo da guarda do Sepulcro,
    Vela à noite por nós,
    E banha-se em suor o travesseiro,
    E além geme nas franças do ...

    Leia mais


    Os Perfumes

    Castro Alves
    A. L.

    O sândalo é o perfume das mulheres de Estambul,
    e das huris do profeta; como as borboletas,
    que se alimentam do mel, a mulher do Oriente
    vive com ...

    Leia mais


    Os Três Amores

    Castro Alves
    I

    Minh’alma é como a fronte sonhadora
    Do louco bardo, que Ferrara chora...
    Sou Tasso!... a primavera de teus risos
    De minha vida as solidões enflora...
    Longe de ti eu ...

    Leia mais


  • Previous
  • Page 2 of 20
  • Next