Frei Jerónimo Baía

Portugal — Poeta

1620 // 1688

4 Poemas

Principais Poemas

A umas Mãos

Frei Jerónimo Baía

Senhora, estas vossas mãos

São sobre belas tão lindas,

Que dão de mão aos arminhos

Na candidez, com que brilham.

Formou-as a natureza

De excelências tão subidas,

Que por essas ...

Leia mais


Retrato

Frei Jerónimo Baía

Pintar o rosto de Márcia

Com tal primor determino,

Que seja logo seu rosto

Pela pinta conhecido.

Anda doudo de prazer

Seu cabelo por tão lindo,

Pois mal lhe vai ...

Leia mais


A uma Rosa

Frei Jerónimo Baía

Como tens tão pouca vida?

Quem tão depressa te mata?

Flor do mais ilustre sangue,

Que deu de Vénus a planta?

Uma Aurora só que vives,

Flores te chamam Monarca ...

Leia mais


A um Desmaio por Causa de uma Sangria

Frei Jerónimo Baía

Penetrou lanceta dura

Naquele valente braço:

Muita neve em pouco espaço,

Muita prata em neve pura.

De ambição não foi loucura,

Destino sim, e foi mais.

Que com circunstâncias tais ...

Leia mais


Mais poemas de Frei Jerónimo Baía