Álvaro de Campos

Portugal

n. 15 Out 1890

100 Poemas

  • Previous
  • Page 3 of 10
  • Next

  • Poemas

    Encostei-me

    Álvaro de Campos
    Encostei-me para trás na cadeira de convés e fechei os olhos,
    E o meu destino apareceu-me na alma como um precipício.
    A minha vida passada misturou-se com a futura,
    E ...

    Leia mais


    Tenho uma Grande Constipação

    Álvaro de Campos
    Tenho uma grande constipação,
    E toda a gente sabe como as grandes constipações
    Alteram todo o sistema do universo,
    Zangam-nos contra a vida,
    E fazem espirrar até à metafísica.
    Tenho ...

    Leia mais


    Passagem das Horas

    Álvaro de Campos
    Trago dentro do meu coração,
    Como num cofre que se não pode fechar de cheio,
    Todos os lugares onde estive,
    Todos os portos a que cheguei,
    Todas as paisagens que ...

    Leia mais


    Fico Sozinho com o Universo Inteiro

    Álvaro de Campos
    Começa a haver meia-noite, e a haver sossego,
    Por toda a parte das coisas sobrepostas,
    Os andares vários da acumulação da vida...
    Calaram o piano no terceiro andar...
    Não oiço ...

    Leia mais


    Às Vezes Tenho Idéias Felizes

    Álvaro de Campos
    Às vezes tenho idéias felizes,
    Idéias subitamente felizes, em idéias
    E nas palavras em que naturalmente se despegam...

    Depois de escrever, leio...
    Por que escrevi isto?
    Onde fui buscar isto? ...

    Leia mais


    Esta Velha Angústia

    Álvaro de Campos
    Esta velha angústia,
    Esta angústia que trago há séculos em mim,
    Transbordou da vasilha,
    Em lágrimas, em grandes imaginações,
    Em sonhos em estilo de pesadelo sem terror,
    Em grandes emoções ...

    Leia mais


    Domingo Irei

    Álvaro de Campos
    Domingo irei para as hortas na pessoa dos outros,

    Contente da minha anonimidade.

    Domingo serei feliz — eles, eles...

    Domingo...

    Hoje é quinta-feira da semana que não tem domingo...

    Nenhum ...

    Leia mais


    Na Noite Terrível

    Álvaro de Campos
    Na noite terrível, substância natural de todas as noites,
    Na noite de insônia, substância natural de todas as minhas noites,
    Relembro, velando em modorra incômoda,
    Relembro o que fiz e ...

    Leia mais


    Se te Queres Matar

    Álvaro de Campos
    Se te queres matar, por que não te queres matar?
    Ah, aproveita! que eu, que tanto amo a morte e a vida,
    Se ousasse matar-me, também me mataria...
    Ah, se ...

    Leia mais


    Adiamento

    Álvaro de Campos
    Depois de amanhã, sim, só depois de amanhã...
    Levarei amanhã a pensar em depois de amanhã,
    E assim será possível; mas hoje não...
    Não, hoje nada; hoje não posso.
    A ...

    Leia mais


  • Previous
  • Page 3 of 10
  • Next