Olavo Bilac

Brasil — Poeta/Jornalista

16 Dez 1865 // 28 Dez 1918

34 Poemas

Page 1 of 4
  • Next

  • Poemas

    Maldição

    Olavo Bilac

    Se por vinte anos, nesta furna escura,

    Deixei dormir a minha maldição,

    - Hoje, velha e cansada da amargura,

    Minh'alma se abrirá como um vulcão.


    E, em torrentes de cólera ...

    Leia mais


    Velhas Árvores

    Olavo Bilac

    Olha estas velhas árvores, mais belas

    Do que as árvores novas, mais amigas:

    Tanto mais belas quanto mais antigas,

    Vencedoras da idade e das procelas...


    O homem, a fera, e ...

    Leia mais


    Língua Portuguesa

    Olavo Bilac

    Última flor do Lácio, inculta e bela,

    És, a um tempo, esplendor e sepultura:

    Ouro nativo, que na ganga impura

    A bruta mina entre os cascalhos vela

    Amo-se assim, desconhecida ...

    Leia mais


    Um Beijo

    Olavo Bilac

    Foste o beijo melhor da minha vida,

    ou talvez o pior...Glória e tormento,

    contigo à luz subi do firmamento,

    contigo fui pela infernal descida!

    Morreste, e o meu desejo ...

    Leia mais


    Em uma Tarde de Outono

    Olavo Bilac

    Outono. Em frente ao mar. Escancaro as janelas

    Sobre o jardim calado, e as águas miro, absorto.

    Outono... Rodopiando, as folhas amarelas

    Rolam, caem. Viuvez, velhice, desconforto...


    Por que, belo ...

    Leia mais


    Não és Bom, nem és Mau

    Olavo Bilac

    Não és bom, nem és mau: és triste e humano...

    Vives ansiando, em maldições e preces,

    Como se a arder no coração tivesses

    O tumulto e o clamor de um ...

    Leia mais


    A Alvorada do Amor

    Olavo Bilac

    Um horror grande e mudo, um silêncio profundo

    No dia do Pecado amortalhava o mundo.

    E Adão, vendo fechar-se a porta do Éden, vendo

    Que Eva olhava o deserto e ...

    Leia mais


    Sonho

    Olavo Bilac

    Quantas vezes, em sonho, as asas da saudade

    Solto para onde estás, e fico de ti perto!

    Como, depois do sonho, é triste a realidade!

    Como tudo, sem ti, fica ...

    Leia mais


    Primavera

    Olavo Bilac

    Ah! quem nos dera que isto, como outrora,

    Inda nos comovesse! Ah! quem nos dera

    Que inda juntos pudéssemos agora

    Ver o desabrochar da primavera!


    Saíamos com os pássaros e ...

    Leia mais


    Mater

    Olavo Bilac

    Tu, grande Mãe!... do amor de teus filhos escrava,

    Para teus filhos és, no caminho da vida,

    Como a faixa de luz que o povo hebreu guiava

    À longe Terra ...

    Leia mais


    Page 1 of 4
  • Next