Tomás António Gonzaga

Brasil — Poeta/Jurista

11 Ago 1744 // 1810

2 Poemas

Principais Poemas

Marília de Dirceu

Tomás António Gonzaga

(excerto)


Eu, Marília, não sou algum vaqueiro,

que viva de guardar alheio gado,

de tosco trato, de expressões grosseiro,

dos frios gelos e dos sóis queimado.

Tenho próprio casal e ...

Leia mais


Obrei quanto o Discurso me Guiava

Tomás António Gonzaga

Obrei quanto o discurso me guiava,

Ouvi aos sábios quando errar temia;

Aos bons no gabinete o peito abria,

Na rua a todos como iguais tratava.


Julgando os crimes nunca ...

Leia mais


Mais poemas de Tomás António Gonzaga