Nuno Júdice

Portugal — Poeta/Ensaísta

n. 29 Abr 1949

23 Poemas

Page 1 of 3
  • Next

  • Poemas

    É Isto o Amor

    Nuno Júdice
    Em quem pensar, agora, senão em ti? Tu, que
    me esvaziaste de coisas incertas, e trouxeste a
    manhã da minha noite. É verdade que te podia
    dizer: «Como é mais ...

    Leia mais


    Carta (Esboço)

    Nuno Júdice
    Lembro-me agora que tenho de marcar um
    encontro contigo, num sítio em que ambos
    nos possamos falar, de facto, sem que nenhuma
    das ocorrências da vida venha
    interferir no que ...

    Leia mais


    Um Amor

    Nuno Júdice
    Aproximei-me de ti; e tu, pegando-me na mão,
    puxaste-me para os teus olhos
    transparentes como o fundo do mar para os afogados. Depois, na rua,
    ainda apanhámos o crepúsculo.
    As ...

    Leia mais


    Definição

    Nuno Júdice
    Quem esquece o amor, e o dissipa, saberá
    que sentimento corrompe, ou apenas se o coração
    se encontra no vazio da memória? O vento
    não percorre a tarde com o ...

    Leia mais


    Plano

    Nuno Júdice
    Trabalho o poema sobre uma hipótese: o amor
    que se despeja no copo da vida, até meio, como se
    o pudéssemos beber de um trago. No fundo,
    como o vinho ...

    Leia mais


    A Vida

    Nuno Júdice
    A vida, as suas perdas e os seus ganhos, a sua
    mais que perfeita imprecisão, os dias que contam
    quando não se espera, o atraso na preocupação
    dos teus olhos, ...

    Leia mais


    Um outro Poema de Amor

    Nuno Júdice
    No fundo, as relações entre mim e ti
    cabem na palma da mão:
    onde o teu corpo se esconde e
    de onde,
    quando sopro por entre os dedos,
    foge como ...

    Leia mais


    Poema de Amor

    Nuno Júdice
    O céu, as linhas de luz na água,
    caminhos diferentes para o coração.
    A queda de sons diversos na atenta coincidência
    dos ouvidos. A relação de uma límpida tarde
    com ...

    Leia mais


    Poema de Amor para Uso Tópico

    Nuno Júdice
    Quero-te, como se fosses
    a presa indiferente, a mais obscura
    das amantes. Quero o teu rosto
    de brancos cansaços, as tuas mãos
    que hesitam, cada uma das palavras
    que sem ...

    Leia mais


    A Voz que Nos Rasgou por Dentro

    Nuno Júdice
    De onde vem - a voz que
    nos rasgou por dentro, que
    trouxe consigo a chuva negra
    do outono, que fugiu por
    entre névoas e campos
    devorados pela erva?

    Esteve ...

    Leia mais


    Page 1 of 3
  • Next