Juan Ramón Jiménez

Espanha — Poeta

23 Dez 1881 // 29 Mai 1958

10 Poemas

Poemas

A Cor da Tua Alma

Juan Ramón Jiménez
Enquanto eu te beijo, o seu rumor
nos dá a árvore, que se agita ao sol de ouro
que o sol lhe dá ao fugir, fugaz tesouro
da árvore que…

Leia mais


Nocturno

Juan Ramón Jiménez
Por onde quer que minha alma
navegue, ou ande, ou voe, tudo, tudo
é seu. Que tranquila
em toda a parte, sempre;
agora na alta proa
que em duas pratas…

Leia mais


Solidão

Juan Ramón Jiménez
Estás todo em ti, mar, e, todavia,
como sem ti estás, que solitário,
que distante, sempre, de ti mesmo!

Aberto em mil feridas, cada instante,
qual minha fronte,
tuas ondas,…

Leia mais


O Único Amigo

Juan Ramón Jiménez
Não me alcançarás, amigo.
Chegarás ansioso, louco;
mas eu já terei partido.

(E que medonho vazio
tudo o que tiveres deixado
atrás, para vir comigo!

Que lamentável abismo
tudo quanto…

Leia mais


A Mulher Nua

Juan Ramón Jiménez
Humana fonte bela,
repuxo de delícia entre as coisas,
terna, suave água redonda,
mulher nua: um dia,
deixarei de te ver,
e terás de ficar
sem estes assombrados olhos meus,…

Leia mais


À Solidão

Juan Ramón Jiménez
Solidão coroada de rosas, quem pudera
aprisionar teu corpo de sol e de harmonia;
estar dentro de ti toda esta primavera
de sangue, e folhas secas e de melancolia!

Que…

Leia mais


A Lembrança

Juan Ramón Jiménez
1

Não te afastes, lembrança, não te afastes!
Rosto, não te desfaças, assim,
como na morte!
Continuai a olhar-me, olhos enormes, fixos,
como um instante me olhastes!
Lábios, sorri-me,
como…

Leia mais


Consciência Plena

Juan Ramón Jiménez
Levas-me, consciência plena, desejante deus,
por todo o mundo.
Neste mar terceiro,
quase oiço tua voz; tua voz do vento
ocupante total do movimento;
das cores, das luzes
eternas e…

Leia mais


Como, Morte, Temer-te?

Juan Ramón Jiménez
Como, morte, temer-te?
Não estás aqui comigo, a trabalhar?
Não te toco em meus olhos; não me dizes
que não sabes de nada, que és vazia,
inconsciente e pacífica? Não…

Leia mais


Inteligência, Dá-me o Nome Exacto das Coisas

Juan Ramón Jiménez
Inteligência, dá-me
o nome exacto das coisas!
... Minha palavra seja
a própria coisa,
criada por minha alma novamente.

Que por mim cheguem todos
os que não as conhecem, às…

Leia mais