Casimiro De Abreu

Brasil — Poeta

4 Jan 1839 // 18 Out 1860

24 Poemas

Page 1 of 3
  • Next

  • Poemas

    A Valsa

    Casimiro De Abreu
    A M.***


    Tu, ontem,
    Na dança
    Que cansa,
    Voavas
    Co'as faces
    Em rosas
    Formosas
    De vivo,
    Lascivo
    Carmim;
    Na valsa
    Tão falsa,
    Corrias,
    Fugias,
    Ardente,
    Contente,
    Tranquila,
    Serena,
    Sem pena…

    Leia mais


    Amor e Medo

    Casimiro De Abreu
    Quando eu te vejo e me desvio cauto
    Da luz de fogo que te cerca, ó bela,
    Contigo dizes, suspirando amores:
    — "Meu Deus! que gelo, que frieza aquela!"

    Como…

    Leia mais


    Canção do Exílio

    Casimiro De Abreu
    Se eu tenho de morrer na flor dos anos
    Meu Deus! não seja já;
    Eu quero ouvir na laranjeira, à tarde,
    Cantar o sabiá!

    Meu Deus, eu sinto e tu…

    Leia mais


    Desejo

    Casimiro De Abreu
    Desejo

    Se eu soubesse que no mundo
    Existia um coração,
    Que só por mim palpitasse
    De amor em terna expansão;
    Do peito calara as mágoas,
    Bem feliz eu era então!…

    Leia mais


    Dores

    Casimiro De Abreu
    Há dores fundas, agonias lentas,
    Dramas pungentes que ninguém consola,
    Ou suspeita sequer!
    Mágoas maiores do que a dor dum dia,
    Do que a morte bebida em taça morna
    De…

    Leia mais


    Meus Oito Anos

    Casimiro De Abreu
    Oh! que saudades que tenho
    Da aurora da minha vida,
    Da minha infância querida
    Que os anos não trazem mais!
    Que amor, que sonhos, que flores,
    Naquelas tardes fagueiras
    À…

    Leia mais


    Minha Terra

    Casimiro De Abreu
    Minha terra tem palmeiras
    Onde canta o sabiá.
    G. DIAS.

    Todos cantam sua terra,
    Também vou cantar a minha,
    Nas débeis cordas da lira
    Hei de fazê-la rainha;
    — Hei…

    Leia mais


    Minhalma é Triste

    Casimiro De Abreu
    Minhalma é triste como a rola aflita
    Que o bosque acorda desde o alvor da aurora,
    E em doce arrulo que o soluço imita
    O morto esposo gemedora chora.

    E,…

    Leia mais


    Mocidade

    Casimiro De Abreu
    Ninon, Ninon, que fais tu de la vie?
    L'heure s'enfuit, le jour succede au jour.
    Rose ce soir, demain flétrie,
    Comment vis-tu, toi qui n'as pas d'amour?!
    MUSSET.


    Doce filha…

    Leia mais


    Moreninha

    Casimiro De Abreu
    Moreninha, Moreninha,
    Tu és do campo a rainha,
    Tu és senhora de mim;
    Tu matas todos d'amores,
    Faceira, vendendo as flores
    Que colhes no teu jardim.

    (...)

    Morena, minha Morena,…

    Leia mais


    Page 1 of 3
  • Next