Bertolt Brecht

Alemanha — Escritor/Dramaturgo

10 Fev 1898 // 14 Ago 1956

14 Poemas

Page 1 of 2
  • Next

  • Poemas

    De que Serve a Bondade

    Bertolt Brecht
    1

    De que serve a bondade
    Quando os bondosos são logo abatidos, ou são abatidos
    Aqueles para quem foram bondosos?

    De que serve a liberdade
    Quando os livres têm que…

    Leia mais


    Louvor do Revolucionário

    Bertolt Brecht
    Quando a opressão aumenta
    Muitos se desencorajam
    Mas a coragem dele cresce.
    Ele organiza a luta
    Pelo tostão do salário, pela água do chá
    E pelo poder no Estado.
    Pergunta…

    Leia mais


    Louvor do Aprender

    Bertolt Brecht
    Aprende o mais simples! Pra aqueles
    Cujo tempo chegou
    Nunca é tarde de mais!
    Aprende o abc, não chega, mas
    Aprende-o!   E não te enfades!
    Começa! Tens de saber tudo!…

    Leia mais


    Nunca te Amei Tanto

    Bertolt Brecht
    Nunca te amei tanto, ma soeur,
    Como quando de ti parti naquele pôr-de-sol.
    O bosque engoliu-me, o bosque azul, ma soeur,
    Sobre que já pousavam as estrelas pálidas a oeste.…

    Leia mais


    Prazeres

    Bertolt Brecht
    O primeiro olhar da janela de manhã
    O velho livro de novo encontrado
    Rostos animados
    Neve, o mudar das estações
    O jornal
    O cão
    A dialéctica
    Tomar duche, nadar
    Velha…

    Leia mais


    Louvor do Esquecimento

    Bertolt Brecht
    Bom é o esquecimento.
    Senão como é que
    O filho deixaria a mãe que o amamentou?
    Que lhe deu a força dos membros e
    O retém para os experimentar.

    Ou…

    Leia mais


    A Verdade Unifica

    Bertolt Brecht
    Amigos, gostaria que soubésseis a Verdade e a dissésseis!
    Não como cansados Césares fugitivos: Amanhã vem farinha!
    Mas como Lenine: Amanhã à noitinha
    Estamos perdidos, se não...
    Ou como se…

    Leia mais


    O Horror de ser Pobre

    Bertolt Brecht
    Risco c'um traço
    (Um traço fino, sem azedume)
    Todos os que conheço, eu mesmo incluído.
    Para todos estes não me verão
    Nunca mais
    Olhar com azedume.

    O horror de ser…

    Leia mais


    O «Ensina-me»

    Bertolt Brecht
    Quando era novo, mandei fazer numa tábua
    A canivete e nanquim a figura dum velho
    A coçar-se no peito por causa da sarna
    Mas de olhar implorativo porque esperava que…

    Leia mais


    Contra a Sedução

    Bertolt Brecht
    1

    Não vos deixeis seduzir!
    Regresso não pode haver.
    O dia já fecha as portas,
    Já sentis o frio da noite:
    Não haverá amanhã.

    2

    Não vos deixeis enganar,
    E…

    Leia mais


    Page 1 of 2
  • Next