António Ferreira

Portugal — Escritor/Humanista

1528 // 1569

8 Poemas

Principais Poemas

Vou de Suspiros Todo este Ar Enchendo

António Ferreira
Vou de suspiros todo est' ar enchendo,
vou a terra de lágrimas regando,
mais água aos rios, mais às fontes dando,
e com meu fogo em tudo fogo acendo.

E…

Leia mais


Dos Mais Fermosos Olhos

António Ferreira
Dos mais fermosos olhos, mais fermoso
Rosto, que entre nós há, do mais divino
Lume, mais branca neve, ouro mais fino,
Mais doce fala, riso mais gracioso:

Dum Angélico ar,…

Leia mais


Se Meu Desejo Só é Sempre Ver-vos

António Ferreira
Se meu desejo só é sempre ver-vos,
Que causará, senhora, que em vos vendo
Assi me encolho logo, e arrependo,
Que folgaria então poder esquecer-vos?

Se minha glória só é…

Leia mais


Aquele Claro Sol

António Ferreira
Aquele claro sol, que me mostrava
o caminho do céu mais chão, mais certo,
e com seu novo raio, ao longe, e ao perto,
toda a sombra mortal m'afugentava,

deixou…

Leia mais


Os Dias Conto, e cada Hora, e Momento

António Ferreira
Os dias conto, e cada hora, e momento
qu' alongando-me vou dos meus amores.
Nas árvores, nas pedras, ervas, flores,
parece que acho mágoa, e sentimento.

As aves que no…

Leia mais


Mais poemas de António Ferreira