António Feijó

Portugal — Poeta/Diplomata

1 Jun 1859 // 20 Jun 1917

11 Poemas

Principais Poemas

O Amor e o Tempo

António Feijó
Pela montanha alcantilada
Todos quatro em alegre companhia,
O Amor, o Tempo, a minha Amada
E eu subíamos um dia.

Da minha Amada no gentil semblante
Já se viam indícios…

Leia mais


Hino à Solidão

António Feijó
Diz-se que a solidão torna a vida um deserto;
Mas quem sabe viver com a sua alma nunca
Se encontra só; a Alma é um mundo, um mundo
[aberto
Cujo…

Leia mais


Hino à Alegria

António Feijó
Tenho-a visto passar, cantando, à minha porta,
E às vezes, bruscamente, invadir o meu lar,
Sentar-se à minha mesa, e a sorrir, meia morta,
Deitar-se no meu leito e o…

Leia mais


Hino à Morte

António Feijó
Tenho às vezes sentido o chocar dos teus ossos
E o vento da tua asa os meus lábios roçar;
Mas da tua presença o rasto de destroços
Nunca de susto…

Leia mais


Eu e Tu

António Feijó
Dois! Eu e Tu, num ser indispensável! Como
Brasa e carvão, centelha e lume, oceano e areia,
Aspiram a formar um todo, — em cada assomo
A nossa aspiração mais…

Leia mais


Mais poemas de António Feijó