Sai a passeio
Olavo Bilac

XIX

Sai a passeio, mal o dia nasce,

Bela, nas simples roupas vaporosas;

E mostra às rosas do jardim as rosas

Frescas e puras que possui na face.


Passa. E todo o jardim, por que ela passe,

Atavia-se. Há falas misteriosas

Pelas moitas, saudando-a respeitosas...

É como se uma sílfide passasse!


E a luz cerca-a, beijando-a. O vento é um choro

Curvam-se as flores trêmulas ... O bando

Das aves todas vem saudá-la em coro ...


E ela vai, dando ao sol o rosto brendo.

Às aves dando o olhar, ao vento o louro

Cabelo, e às flores os sorrisos dando...