Balada de Sempre
Fernando Namora

Espero a tua vinda

a tua vinda,

em dia de lua cheia.


Debruço-me sobre a noite

a ver a lua a crescer, a crescer...


Espero o momento da chegada

com os cansaços e os ardores de todas as chegadas...


Rasgarás nuvens de ruas densas,

Alagarás vielas de bêbados transformadores.

Saltarás ribeiros, mares, relevos...

- A tua alma não morre

aos medos e às sombras!-


Mas...,

Enquanto deixo a janela aberta

para entrares,

o mar,

aí além,

sempre duvidoso,

desenha interrogações na areia molhada...