Cesário Verde

Portugal — Poeta

25 Fev 1855 // 19 Jul 1886

26 Poemas

Page 1 of 3
  • Next

  • Poemas

    Eu e Ela

    Cesário Verde
    Cobertos de folhagem, na verdura,
    O teu braço ao redor do meu pescoço,
    O teu fato sem ter um só destroço,
    O meu braço apertando-te a cintura;

    Num mimoso jardim, ...

    Leia mais


    Contrariedades

    Cesário Verde
    Eu hoje estou cruel, frenético, exigente;
    Nem posso tolerar os livros mais bizarros.
    Incrível! Já fumei três maços de cigarros
    Consecutivamente.

    Dói-me a cabeça. Abafo uns desesperos mudos:
    Tanta depravação ...

    Leia mais


    Vaidosa

    Cesário Verde
    Dizem que tu és pura como um lírio
    E mais fria e insensível que o granito,
    E que eu que passo aí por favorito
    Vivo louco de dor e de ...

    Leia mais


    Impossível

    Cesário Verde
    Nós podemos viver alegremente,
    Sem que venham com fórmulas legais,
    Unir as nossas mãos, eternamente,
    As mãos sacerdotais.

    Eu posso ver os ombros teus desnudos,
    Palpá-los, contemplar-lhes a brancura,
    E ...

    Leia mais


    Num Bairro Moderno

    Cesário Verde
    Dez horas da manhã; os transparentes
    Matizam uma casa apalaçada;
    Pelos jardins estancam-se as nascentes,
    E fere a vista, com brancuras quentes,
    A larga rua macadamizada.

    Rez-de-chaussée repousam sossegados,
    Abriram-se, ...

    Leia mais


    Cinismos

    Cesário Verde
    Eu hei de lhe falar lugubremente
    Do meu amor enorme e massacrado,
    Falar-lhe com a luz e a fé dum crente.

    Hei de expor-lhe o meu peito descarnado,
    Chamar-lhe minha ...

    Leia mais


    Deslumbramentos

    Cesário Verde

    Milady, é perigoso contemplá-la,
    Quando passa aromática e normal,
    Com seu tipo tão nobre e tão de sala,
    Com seus gestos de neve e de metal.

    Sem que nisso ...

    Leia mais


    Loira

    Cesário Verde
    Eu descia o Chiado lentamente
    Parando junto às montras dos livreiros
    Quando passaste irônica e insolente,
    Mal pousando no chão os pés ligeiros.

    O céu nublado ameaçava chuva,
    Saía gente ...

    Leia mais


    Flores Velhas

    Cesário Verde
    Fui ontem visitar o jardinzinho agreste,
    Aonde tanta vez a lua nos beijou,
    E em tudo vi sorrir o amor que tu me deste,
    Soberba como um sol, serena como ...

    Leia mais


    Heroísmos

    Cesário Verde
    Eu temo muito o mar, o mar enorme,
    Solene, enraivecido, turbulento,
    Erguido em vagalhões, rugindo ao vento;
    O mar sublime, o mar que nunca dorme.

    Eu temo o largo mar, ...

    Leia mais


    Page 1 of 3
  • Next