Cecília Meireles

Brasil — Poeta/Escritora

7 Nov 1901 // 9 Nov 1964

Foi uma jornalista, pintora, escritora e professora brasileira. Sua principal obra é Romanceiro da Inconfidência (1953). Fonte: Wikipedia.

39 Poemas

  • Previous
  • Page 2 of 4
  • Next

  • Poemas

    Retrato de Mulher Triste

    Cecília Meireles
    Vestiu-se para um baile que não há.
    Sentou-se com suas últimas jóias.
    E olha para o lado, imóvel.

    Está vendo os salões que se acabaram,
    embala-se em valsas que não ...

    Leia mais


    O Que Amamos Está Sempre Longe de Nós

    Cecília Meireles
    O que amamos está sempre longe de nós:
    e longe mesmo do que amamos - que não sabe
    de onde vem, aonde vai nosso impulso de amor.

    O que amamos ...

    Leia mais


    A Velhice Pede Desculpas

    Cecília Meireles
    Tão velho estou como árvore no inverno,
    vulcão sufocado, pássaro sonolento.
    Tão velho estou, de pálpebras baixas,
    acostumado apenas ao som das músicas,
    à forma das letras.

    Fere-me a luz ...

    Leia mais


    Criança

    Cecília Meireles
    Cabecinha boa de menino triste,
    de menino triste que sofre sozinho,
    que sozinho sofre, — e resiste,

    Cabecinha boa de menino ausente,
    que de sofrer tanto se fez pensativo,
    e ...

    Leia mais


    O Tempo Seca o Amor

    Cecília Meireles
    O tempo seca a beleza,
    seca o amor, seca as palavras.
    Deixa tudo solto, leve,
    desunido para sempre
    como as areias nas águas.

    O tempo seca a saudade,
    seca as ...

    Leia mais


    Pergunto-te Onde se Acha a Minha Vida

    Cecília Meireles
    Pergunto-te onde se acha a minha vida.
    Em que dia fui eu. Que hora existiu formada
    de uma verdade minha bem possuída.

    Vão-se as minhas perguntas aos depósitos do nada. ...

    Leia mais


    Sem Corpo Nenhum

    Cecília Meireles
    Sem corpo nenhum,
    como te hei de amar?
    — Minha alma, minha alma,
    tu mesma escolheste
    esse doce mal!

    Sem palavra alguma,
    como o hei de saber?
    — Minha alma, ...

    Leia mais


    Ninguém me Venha Dar Vida

    Cecília Meireles
    Ninguém me venha dar vida,
    que estou morrendo de amor,
    que estou feliz de morrer,
    que não tenho mal nem dor,
    que estou de sonho ferida,
    que não me quero ...

    Leia mais


    Sugestão

    Cecília Meireles
    Sede assim — qualquer coisa
    serena, isenta, fiel.

    Flor que se cumpre,
    sem pergunta.

    Onda que se esforça,
    por exercício desinteressado.

    Lua que envolve igualmente
    os noivos abraçados
    e os ...

    Leia mais


    Atitude

    Cecília Meireles
    Minha esperança perdeu seu nome...
    Fechei meu sonho, para chamá-la.
    A tristeza transfigurou-me
    como o luar que entra numa sala.

    O último passo do destino
    parará sem forma funesta,
    e ...

    Leia mais


  • Previous
  • Page 2 of 4
  • Next