Carlos Drummond de Andrade

Brasil — Escritor/Poeta/Cronista

31 Out 1902 // 17 Ago 1987

Foi um poeta, contista e cronista brasileiro, considerado por muitos o mais influente poeta brasileiro do século XX. Drummond foi um dos principais poetas da segunda geração do Modernismo brasileiro. Sua principal obra é A Rosa do Povo (1945). Fonte: Wikipedia.

49 Poemas

  • Previous
  • Page 2 of 5
  • Next

  • Poemas

    A Palavra Mágica

    Carlos Drummond de Andrade

    Certa palavra dorme na sombra

    de um livro raro.

    Como desencantá-la?

    É a senha da vida

    a senha do mundo.

    Vou procurá-la.


    Vou procurá-la a vida inteira

    no mundo todo ...

    Leia mais


    Balada do Amor através das Idades

    Carlos Drummond de Andrade

    Eu te gosto, você me gosta

    desde tempos imemoriais.

    Eu era grego, você troiana,

    troiana mas não Helena.

    Saí do cavalo de pau

    para matar seu irmão.

    Matei, brigámos, morremos ...

    Leia mais


    Poema da Necessidade

    Carlos Drummond de Andrade

    É preciso casar João,

    é preciso suportar António,

    é preciso odiar Melquíades,

    é preciso substituir nós todos.


    É preciso salvar o país,

    é preciso crer em Deus,

    é preciso pagar ...

    Leia mais


    O Amor Antigo

    Carlos Drummond de Andrade

    O amor antigo vive de si mesmo,

    não de cultivo alheio ou de presença.

    Nada exige nem pede. Nada espera,

    mas do destino vão nega a sentença.


    O amor antigo ...

    Leia mais


    Toada do Amor

    Carlos Drummond de Andrade

    E o amor sempre nessa toada:

    briga perdoa perdoa briga.


    Não se deve xingar a vida,

    a gente vive, depois esquece.

    Só o amor volta para brigar,

    para perdoar,

    amor ...

    Leia mais


    O Constante Diálogo

    Carlos Drummond de Andrade

    Há tantos diálogos


    Diálogo com o ser amado

    o semelhante

    o diferente

    o indiferente

    o oposto

    o adversário

    o surdo-mudo

    o possesso

    o irracional

    o vegetal

    o mineral

    o inominado ...

    Leia mais


    Amor - Pois que é Palavra Essencial

    Carlos Drummond de Andrade

    Amor — pois que é palavra essencial

    comece esta canção e toda a envolva.

    Amor guie o meu verso, e enquanto o guia,

    reúna alma e desejo, membro de vulva.


    Quem ...

    Leia mais


    Véspera

    Carlos Drummond de Andrade

    Amor: em teu regaço as formas sonham

    o instante de existir: ainda é bem cedo

    para acordar, sofrer. Nem se conhecem

    os que se destruirão em teu bruxedo.


    Nem tu ...

    Leia mais


    Certas Palavras

    Carlos Drummond de Andrade

    Certas palavras não podem ser ditas

    em qualquer lugar e hora qualquer.

    Estritamente reservadas

    para companheiros de confiança,

    devem ser sacralmente pronunciadas

    em tom muito especial

    lá onde a polícia ...

    Leia mais


    Necrológio dos Desiludidos do Amor

    Carlos Drummond de Andrade

    Os desiludidos do amor

    estão desfechando tiros no peito.

    Do meu quarto ouço a fuzilaria.

    As amadas torcem-se de gozo.

    Oh quanta matéria para os jornais.


    Desiludidos mas fotografados,

    escreveram ...

    Leia mais


  • Previous
  • Page 2 of 5
  • Next