Vendaval
Miguel Torga

Meu coração quebrou.

Era um cedro perfeito;

Mas o vento da vida levantou,

E aquele prumo do céu caiu direito.


Nos bons tempos felizes

Em que ele batia, erguido,

Desde a rama às raízes

Era seiva e sentido.


Agora jaz no chão.

Palpita ainda, e tem

Vida de coração...

Mas não ama ninguém.